Proteção financeira: 7 dicas para preservar seu patrimônio

Proteção financeira: 7 dicas para preservar seu patrimônio

A proteção financeira é essencial para garantir estabilidade e segurança, principalmente em tempos de crise econômica. Portanto, saber como proteger as finanças pessoais e tomar medidas preventivas pode fazer toda a diferença em situações imprevisíveis e adversas. 

A Semana Nacional de Educação Financeira (ENEF) deste ano coloca o assunto em evidência, ao eleger, como temática “Proteção financeira e solidariedade aos irmãos do Rio Grande do Sul”. Uma maneira de colaborar para que os gaúchos se recuperem das consequências das enchentes que atingem o estado.  

Aproveitando a campanha, elencamos, nesse post, algumas dicas-chave para que você evite se tornar uma vítima de golpes – inclusive de criminosos que usam a tragédia no Sul para criar links falsos de doações e desviar o dinheiro para quadrilhas - e se colocar em condições de vulnerabilidade. Continue a leitura e fique por dentro! 

O que é a proteção financeira? 

Inicialmente, é interessante destacar que, quando falamos em proteção financeira, falamos de um conjunto de medidas e estratégias. Em suma, o propósito é garantir a estabilidade e a segurança financeira de um indivíduo — ou de uma empresa — em situações adversas ou de incerteza econômica. 

 Em geral, essas iniciativas incluem práticas que objetivam proteger o seu patrimônio e manter os recursos sob uma supervisão constante. Ou seja, são essenciais para preservar a saúde financeira e prevenir perdas significativas, proporcionando mais tranquilidade em relação ao futuro. 

Como proteger as finanças? 

Separamos algumas dicas muito práticas. Veja só!  

1. Confira periodicamente o seu extrato da conta corrente 

Esse é um dos hábitos mais importantes para proteger as suas finanças porque ajuda a identificar possíveis erros e/ou fraudes na sua conta bancária. Portanto, verifique regularmente o seu extrato da conta corrente para garantir que todas as transações foram autorizadas e que não há cobranças indevidas. 

Ao conferir o extrato, é possível ter uma noção mais precisa dos seus gastos e avaliar se você está seguindo o orçamento estabelecido. Inclusive, é recomendável fazer essa verificação, pelo menos, uma vez por semana. Assim, você evitará surpresas desagradáveis e manterá as suas movimentações sob controle. 

Ao notar alguma inconsistência, entre em contato imediatamente com a instituição financeira para resolver o problema.  

2. Procure fazer transações eletrônicas 

Dar preferência a transações financeiras eletrônicas é outra dica relevante para proteger suas finanças. Essa modalidade de operação oferece mais segurança, já que evita o manuseio de dinheiro físico, além de reduzir as chances de fraude e de roubo. 

Embora algumas pessoas não estejam habituadas, as movimentações eletrônicas, em geral, não envolvem nenhuma complexidade. Basta utilizar os serviços de Internet Banking e os aplicativos móveis oferecidos por sua instituição financeira para fazer transferências, pagamentos e outras operações. 

Lembre-se, apenas, de tomar alguns cuidados. Ao fazer compras online, por exemplo, verifique se o site é seguro e use cartões de crédito ou de débito que tenham medidas de proteção, como o código de segurança e a verificação em duas etapas. 

Além disso, é importante nunca compartilhar informações sobre senhas com terceiros — mesmo com atendentes das agências.   

3. Somente faça pagamentos em espécie em locais seguros 

Sabemos que, em algumas ocasiões, manusear o dinheiro em espécie pode ser necessário. Nesse momento, a atenção deve ser redobrada. 

O ideal é utilizar um espaço reservado para realizar pagamentos desse tipo, como a sala de atendimento de uma agência. Ao fazer saques em caixas eletrônicos, escolha locais seguros e observe se não há ninguém suspeito por perto.  

4. Evite manusear dinheiro em público 

Complementando a dica anterior, evite o manuseio de dinheiro à vista do público. Na prática, isso significa que é importante evitar mostrar as suas notas e moedas em locais expostos, como nas filas das agências, em restaurantes ou no transporte público. 

Novamente, sempre que for possível, é recomendável o uso de cartões de débito ou de crédito, que oferecem mais segurança e, claro, facilidade no dia a dia.  

5. Sempre confira se você não está sendo seguido 

É importante ressaltar que se sentir seguro é essencial para proteger as suas finanças. Portanto, se você tiver a sensação de que está sendo seguido, não se isole. Ao contrário, busque um local com um fluxo maior de pessoas.  

Nesses casos, é bom ter um plano de ação, como informar as autoridades ou procurar ajuda em estabelecimentos próximos. 

De forma preventiva, esteja atento ao seu entorno e evite andar sozinho em lugares pouco movimentados, especialmente se estiver com uma alta quantia. Inclusive, nessas situações, prefira meios de transporte mais seguros e confiáveis.  

6. Evite pagar com cheques a estabelecimentos ou pessoas que você desconhece 

Ainda que pareça uma dica básica, acredite: muitos deixam de dar a devida atenção a quem repassam os seus recursos. Inclusive, isso é especialmente importante se você costuma usar cheques. 

No dia a dia, evite deixá-los com lojistas ou pessoas desconhecidas. Por exemplo: se o estabelecimento não emitir documento fiscal, suspeite. 

Esse cuidado é fundamental porque essa forma de pagamento pode expor os seus dados bancários e facilitar fraudes. Mais uma vez, sugerimos a utilização de meios de pagamento mais seguros e confiáveis, como cartões de crédito e débito.  

7. Evite cadastrar senhas “óbvias” 

É verdade que memorizar diversas senhas não é uma tarefa fácil. Por isso, muitos caem na cilada de usar datas de nascimento, números sequenciais ou senhas repetidas em diferentes serviços financeiros. 

No entanto, saiba que isso também pode deixar as suas contas vulneráveis a ataques de cibercriminosos. Para proteger as suas informações financeiras, escolha senhas complexas e diferentes para cada serviço, com combinações de letras, números e símbolos, e troque-as regularmente. 

Reforçamos que você deve evitar compartilhar as suas senhas com terceiros, mesmo que sejam pessoas de confiança. A proteção das suas finanças depende principalmente de você.  

Como a Sicoob Cocred pode ajudar na sua proteção financeira? 

A Sicoob Cocred é uma cooperativa de crédito comprometida com a proteção das finanças dos seus cooperados. Para isso, adotamos medidas de segurança nas transações eletrônicas, além de disponibilizar canais de atendimento para reportar possíveis fraudes ou irregularidades. 

No entanto, é essencial lembrar que cada um também tem papel fundamental na proteção das suas finanças a partir da adoção de hábitos seguros, evitando expor informações sensíveis. A proteção financeira é um cuidado básico para a saúde financeira e o bem-estar dos cooperados. 

Entendeu como as dicas deste post podem ajudar a evitar sérios problemas? Sempre conte com instituições financeiras confiáveis, como a Sicoob Cocred, que oferecem medidas de proteção. 

Você pode conferir mais conteúdos sobre proteção financeira e outros temas relevantes aqui no blog da Sicoob Cocred ou pelas redes sociais (FacebookInstagram e LinkedIn). Vamos lá! 

Semana ENEF: Cocred estende programação com palestras de educação financeira

Conta com a Cocred Jovem encerra 6ª turma com a capacitação de 145 estudantes

Enchentes no RS: cuidado com os golpes do PIX

Vai declarar o Imposto de Renda? Atenção aos aplicativos falsos

Semana ENEF: Cocred estende programação com palestras de educação financeira

Conta com a Cocred Jovem encerra 6ª turma com a capacitação de 145 estudantes

Enchentes no RS: cuidado com os golpes do PIX

Vai declarar o Imposto de Renda? Atenção aos aplicativos falsos

Assine e receba nossos conteúdos exclusivos.

Quer fazer parte de nossa cooperativa?

Então, preencha o formulário abaixo!

Cadastro enviado com sucesso! Em breve, nossa equipe entrará em contato