Fraudes e golpes digitais: principais tipos e como evitar

Fraudes e golpes digitais: principais tipos e como evitar

Existem muitos tipos de fraudes e golpes digitais. Redes sociais, e-mails, ligações telefônicas e mensagens de SMS, por exemplo, são alguns dos ambientes em que as pessoas podem ter suas informações pessoais expostas.

Nesse sentido, entender mais sobre os golpes e quais são os cuidados que devem ser adotados para evitá-los é essencial para ter uma navegação segura em ambiente digital. Desse modo, você protege não somente os seus dados, mas também o seu dinheiro.

Preparamos um post para que você conheça os principais golpes e fraudes digitais e como se prevenir de cada um deles. Boa leitura!

O que são os golpes digitais?

Os golpes digitais são ações criminosas praticadas na internet. Os invasores acessam as redes sociais das vítimas ou outros aplicativos para roubar informações sigilosas, ou se passam por funcionários de empresas para forçar a vítima a repassar os dados dela.

Uma das técnicas mais utilizadas pelos golpistas é a engenharia social, pela qual os criminosos conseguem fazer com que os usuários forneçam dados confidenciais ao clicar em links falsos e preencher formulários falsos.

Quais são os golpes digitais mais comuns?

Os criminosos aplicam diferentes tipos de golpes digitais, mas alguns são mais recorrentes. Dessa forma, ao conhecer a dinâmica deles, você será capaz de agir para evitar situações que possam afetar os seus dados pessoais. Confira!

Aplicativos maliciosos 

Nem todo aplicativo é seguro: quando uma suposta empresa encoraja você a baixar o aplicativo por um site que não seja uma loja oficial, como a Google Play Store ou Apple Store, já é motivo para desconfiar das intenções.

Isso porque alguns apps podem ser simplesmente programas falsos, criados para roubar dados assim que são instalados. Desse modo, os criminosos terão acesso a senhas, informações de login, vídeos, fotos e dados de contas bancárias.

Phishing

O phishing — adaptação do verbo pescar (fishing) em inglês — é um dos golpes digitais mais frequentes. Envolve o envio de links por mensagens muito parecidas com comunicações legítimas de empresas. Entretanto, eles levam a sites nocivos e que facilitam o roubo de informações.

Outro golpe, e que acontece por meio do phishing, é o ransomware. Os criminosos enviam o phishing com um design muito semelhante ao da empresa original. Depois que a vítima clica no link da mensagem, SMS ou e-mail, os dados dela são violados e, posteriormente, valores de resgate são exigidos pelos criminosos para “devolver” as informações.

Roubo de dados 

Se golpes como o phishing levam a vítima a clicar em links falsos, o roubo de dados é uma das consequências. O criminoso aproveita um ato falho, obtém dados sigilosos e compromete a vida financeira da vítima.

Os dados roubados para aplicar golpes digitais podem ser variados, como:

  • contas bancárias;
  • números de passaporte;
  • CPFs;
  • registros médicos;
  • assinaturas online;
  • números da carteira de habilitação;
  • endereços;
  • senhas utilizadas para acessar os aplicativos.

Os criminosos normalmente roubam para vendê-los ou usá-los para comprar produtos ou serviços em nome da vítima. Caso os ladrões consigam obter as informações mencionadas, poderão criar cartões de crédito ou usar a identidade alheia em benefício próprio.

Pharming 

Já o pharming é um golpe virtual que direciona o usuário para um site falso. Com isso, o criminoso consegue roubar registros pessoais e financeiros.

Logo, é primordial ter atenção ao ser direcionado para um site com um endereço diferente do que você utilizou para entrar em uma página. Muitas vezes, as diferenças podem até confundir com escritas semelhantes, como inverter a ordem das letras para convencer a vítima de que está no site correto.

Pagamento de boletos 

Nesse tipo de golpe, os criminosos geram um boleto bancário falso com todas as suas informações e se passam pela empresa na qual você apresenta débitos em aberto. Normalmente, o envio é feito por meio do WhatsApp ou SMS, e contém o número do código de barras do documento.

Assim, o pretexto é uma possível cobrança de uma conta de telefone, um financiamento ou pagamento de algum produto ou serviço, por exemplo.

Caso você suspeite do layout do boleto, ou não se recorde do compromisso que gerou a cobrança, ignore a mensagem. Muitas instituições sérias, como cooperativas de crédito, solicitam o acesso por senha quando enviam uma fatura. Isso evita que terceiros consigam acessar seus dados.

Clonagem do WhatsApp 

Criminosos entram em contato alegando que precisam do código de ativação do WhatsApp. Com o número, eles conseguem operar o aplicativo da vítima em outro aparelho celular e passam a pedir dinheiro para amigos e familiares dela.

É preciso, então, tomar cuidado com mensagens de SMS que peçam supostos códigos de verificação.

Pix falso 

O Pix consiste em uma importante modalidade de pagamento instantâneo, que foi lançado no Brasil em novembro de 2020. É possível realizar um Pix em qualquer momento do dia, incluindo feriados e finais de semana.

O valor é depositado na hora, diretamente na conta do destinatário. Por conta do sucesso dessa aplicação, diversos golpes relacionados ao Pix também se popularizaram — fazendo diversas vítimas.

Há, por exemplo, golpe do Pix errado, em que o criminoso cria um comprovante de uma instituição bancária e envia para o WhatsApp da vítima, relatando que realizou uma transferência errada. Depois, ele solicita a devolução do dinheiro que supostamente teria caído na conta.

Outro golpe digital similar é o Pix antecipado, no qual o criminoso liga para a vítima e se passa por um colaborador de uma instituição financeira. Durante a conversa, o golpista informa que foi feito um Pix na conta do destinatário — e que o valor cairá no dia seguinte.

Logo após, o criminoso solicita que a vítima acesse o aplicativo da companhia, digite os dados de uma determinada pessoa e envie o valor solicitado.

Ainda é preciso mencionar o golpe relacionado ao cadastro do Pix. Os golpistas enviam mensagens convidando a vítima a cadastrar a chave Pix em um site para ativar recebimentos e pagamentos.

Ao acessar o link, a pessoa é direcionada para sites falsos. Como alguns deles parecem muito com as páginas das empresas originais, esse golpe tem tido algum sucesso e se tornado mais frequente.

Como se proteger contra os golpes digitais?

Com alguns cuidados, é possível contornar situações perigosas. Vamos conhecer algumas dicas nesse sentido.

Use dispositivos seguros

Para evitar cair em fraudes e em golpes digitais, é essencial utilizar dispositivos seguros. Dessa maneira, busque se conectar em redes, celulares e computadores de sua confiança.

Não é indicado realizar compras online por meio de ferramentas que você não conhece, como computadores de terceiros. Essa prática aumenta a chance de que os dados fiquem armazenados na máquina utilizada — e à mercê de qualquer um.

É indicado que as ferramentas utilizadas tenham um bom antivírus, que seja capaz de fazer varreduras em toda a rede para encontrar possíveis ações de malwares. Isso evita que os cibercriminosos consigam acessar seus dados.

O antivírus também permite que o usuário receba um alerta ao perceber alguma ameaça ou link malicioso. Assim, você obtém uma notificação a respeito dos riscos e dos perigos em acessar a página. Isso é especialmente em notebooks e computadores, que são mais suscetíveis a ataques por malwares e vírus.

Não clique em links recebidos de e-mails desconhecidos 

Uma das formas mais eficientes de se prevenir contra golpes digitais é não clicar em links desconhecidos recebidos por e-mail. Esse golpe ainda é bastante frequente, uma vez que diversas transações realizadas na internet não demandam uma confirmação.

Entretanto, para que você não leve prejuízo e seus dados não sejam roubados, é preciso ter atenção ao acessar mensagens enviadas por desconhecidos e também de empresas — já que os criminosos estão cada vez mais criativos na hora de construir armadilhas. Em caso de dúvidas, é uma boa ideia entrar em contato com a companhia para verificar se o e-mail foi enviado por ela, de fato.

Não abra links recebidos por WhatsApp de desconhecidos 

Como o WhatsApp é utilizado de forma massiva tanto por indivíduos como por empresas, diversos golpes são aplicados por meio dele. Os grupos, por exemplo, apresentam um elevado fluxo de mensagens, envios de imagens e vídeos.

Caso o seu aplicativo esteja habilitado para fazer downloads de mídia de forma automática, seu aparelho pode acabar armazenando arquivos indesejados e prejudiciais. Para evitar que seu smartphone sofra a ação de vírus, o ideal é desativar a opção de downloads automáticos e selecionar cada item que deseja baixar.

Supostos links, mensagens de prêmios, ofertas de emprego e outras propostas, enviados pelo WhatsApp, podem ser golpes digitais disfarçados. A boa notícia é que o aplicativo já conta com importantes recursos de segurança.

Caso alguém tenha enviado um link que direcione para o preenchimento de um formulário, por exemplo, evite prosseguir. Esse cuidado é fundamental para garantir a segurança de suas informações.

Por fim, bloqueie e denuncie contatos que façam propagandas, enviem fake news ou links suspeitos. Caso você desconfie da foto utilizada no perfil, por exemplo, ignore a mensagem e entre em contato com a instituição que a pessoa alega representar.

Confira os termos de privacidade do site

A seção do site que detalha as políticas de privacidade da instituição deve ser analisada para que você não caia em fraudes virtuais. Trata-se de um conjunto de termos que aborda todas as ações feitas com as informações registradas durante cada acesso.

O objetivo da política de privacidade de um site é deixar claro, para o visitante, o intuito da coleta de seus dados e como eles serão utilizados pela organização. Se forem repassados para terceiros, é necessário que essa informação esteja inserida no documento para que você saiba.

Não compartilhe senhas com terceiros 

A senha utilizada para acessar algum aplicativo ou cadastro em site é pessoal e não deve ser compartilhada com outras pessoas. Afinal, quaisquer criminosos de posse desses dados podem utilizar essas informações em benefício próprio, como sacar dinheiro de uma conta bancária.

Nesse sentido, é muito importante deixar as senhas armazenadas em um local seguro para que ninguém tenha acesso. Para evitar problemas, utilize senhas distintas para cada tipo de plataforma: nada de usar a mesma combinação nas redes sociais e em contas bancárias, o que facilitaria a vida dos criminosos.

Inclusive, tente utilizar o menor número possível de senhas. Muitos aplicativos e sites já oferecem o login por biometria, que é uma excelente opção para quem utiliza os programas em dispositivos móveis.

Caso você precise solicitar a senha para acessar um site por meio de um computador, só utilize as informações de contato no site oficial da instituição. Nada de pedir esses dados em redes sociais, por exemplo.

Tome cuidado com os telefonemas

Por fim, preste atenção às ligações telefônicas. Fraudadores podem se passar por um colaborador de empresa ou instituição financeira e solicitar seus dados. Nessa situação, antes de repassar qualquer informação, guarde o número e entre em contato com a instituição por meio dos seus canais oficiais.

Como proceder após cair em um golpe? 

Mesmo com todos os cuidados mencionados, é possível que, por algum deslize, você ainda seja vítima de um golpe virtual. Ao perceber que isso aconteceu, mantenha a calma. A primeira coisa que se pode fazer é registrar um Boletim de Ocorrência para que a situação fique documentada.

Em seguida, você deve entrar em contato com a sua instituição financeira para bloquear os cartões, além de solicitar que a instituição fique atenta a qualquer movimentação feita em seu nome. Os amigos e familiares também precisam ser notificados, uma vez que os criminosos podem entrar em contato pedindo dinheiro.

Como você viu neste artigo, existem inúmeras fraudes e golpes digitais no ambiente virtual. Evitar clicar em links suspeitos, não realizar o pagamento de boletos que você não reconheça em um primeiro momento e tomar cuidado com supostos representantes de instituições financeiras são alguns dos cuidados a tomar.

Gostou do nosso conteúdo? Então, siga as nossas redes sociais para ficar por dentro dos nossos novos posts e iniciativas. Estamos no Facebook, no LinkedIn e no Instagram!

Fui vítima de golpe. E agora?

Cocred leva teatro a instituição de Guaíra e abre agência para visita de estudantes

Cocred promove palestras gratuitas durante a Global Money Week

Celular Seguro: conheça o aplicativo que permite informar roubo e furto do aparelho

Fui vítima de golpe. E agora?

Cocred leva teatro a instituição de Guaíra e abre agência para visita de estudantes

Cocred promove palestras gratuitas durante a Global Money Week

Celular Seguro: conheça o aplicativo que permite informar roubo e furto do aparelho

Assine e receba nossos conteúdos exclusivos.

Quer fazer parte de nossa cooperativa?

Então, preencha o formulário abaixo!

Cadastro enviado com sucesso! Em breve, nossa equipe entrará em contato